quinta-feira, 30 de abril de 2015

Bitcoin: E os sucessores?

Bitcoin_LogoO Bitcoin pode não ter sido a primeira “moeda digital”, nem mesmo ser a revolução toda que prometia, mas ele trousse outra visão a economia digital e permitiu extrapolar com sua tecnologia. Mas ele tinha - e têm - “defeitos” em sua criação que alguns dos sucessores, ou clones, dele tentaram contornar. Diga-se de passagem, nunca tiveram promoção e a aceitação total pelos usuários como seu irmão maior.

De simples pega carona na tecnologia do Bitcoin com algumas mudanças “perfumadas”, a sistemas totalmente novos. Vou mostrar alguns projetos de criptomoedas que tem sacadas geniais para contornas as limitações do seu irmão mais famoso.

Namecoin (NMC) é uma criptomoeda baseada em SHA; que usa sua blockchain para armazenar dados. Um possível uso desse recurso é criar um novo sistema DNS, mas a idéia parece que não pegou (ainda), apesar de ser bastante interessante.

Mastercoin foi um dos primeiros projetos bem sucedidos moedas derivadas. Usar a blockchain para representar símbolos de diferentes plataformas, e em março de 2015 mudou de nome (Omni). Ciybterparty com êxito tem usurpado o lugar deste. É baseado na mesma tecnologia, mas é mais avançado.

Projetos que visam sanar problemas como limite das moedas, anônimidade, e leveza do sistema com estruturas totalmente novas. Vamos a eles.

Litecoin (LTC) Usa script, em vez do SHA, em sua prova de trabalho (Proof-of-work - POW) para tornar a mineração mais leve. Têm um limite de emissão maior, e possui o único clone viável de todo o universo das criptomoedas o Dogecoin (D) uma exceção à regra, uma moeda que acabou por ser tornar divertida, e tem uma comunidade real que dar suporte a ela, mesmo não sendo nada de excepcional.

Darkcoin (DRK), que a partir de março de 2015 passou a chamar-se DASH, é uma moeda que usar X11 como algoritmo de PoW e é considerada como "a primeira moeda anônima". Ele usa uma tecnologia chamada darksend para ocultar as transações. Bytecoin (BTE) é um clone que usa um método novo para ocultar as transações, chamado cryptonote. Monero é o clone do clone, mas assim como os outros dois está declinando pesadamente.

Peercoin (PPC) é outra moeda que usa como principio básico o Bitcoin. Ele diferenciasse por usa o sistema PoS (Proof-of-Stake) para a confirmação de transações, ao lado da já tradicional PoW (Proof-of-Work). Nubits é uma moeda construída sobre a plataforma do Peercoin. Sua inovação é manter sempre uma cota de moedas com preços atrelados ao valor do dólar “americano”.

Há projetos que querem ser tudo para todos, e que usas os conceitos das criptomoedas para usos inusitados.

Ethereum não é uma moeda, mas propõem ser uma “blockchain” que qualquer outro aplicativo, ou qualquer outro negócio, ou plataforma possa usar. Ele afirma ser aberto para outros projetos na “cryptocommunity”. A angariação de fundos foi encerrada e as “moedas” não podem ser negociadas atualmente.

NXT usa PoS em vez de PoW. Foi escrito em uma linguagem diferente do que todas as outras “cryptocoins”. É uma plataforma com muitos recursos: mensagens criptografadas, trocas de ativos, armazenamento de bens digitais e DNS. SuperNET é uma plataforma que está sendo construída sobre o NXT por um desenvolvedor chamado Jl777. Destina-se a atuar como uma ponte entre outras plataformas, para que possam compartilhar os benefícios um do outro.

Bitshares é uma plataforma que é usada para à trocar de uma mercadoria por outra. Todas as mercadorias não são apoiadas por sir mesmas, mas por uma valor em criptomoedas, eles, têm, tinham um projeto interessante que possuíam dois outro sistemas BitNames e o BitMessage.

eMunie é outra plataforma que pretende ser um tudo e qualquer coisa, não apenas enviar e receber moedas. Tem sido um ciclo de produção muito longa e muito atrasada. Ele também teve problemas com roubos de fundos da captação. Apesar disso lançou um beta na primeira metade de 2015.

NEM (New Economy Movement) é uma nova plataforma de “prova-de-X” chamada PoI (Proof-of-Importance) - Baseado no sistema de pontuação EigenTrust - que é usado para falhas de endereço em outros algoritmos de PoS. Ele também foi escrito com um código-fonte totalmente novo.

Ripple da Ripple Labs Inc na verdade não é uma criptomoeda e sim um sistema de pagamentos que usa conceitos vindos do Bitcoin, como sua blockchain, e sua moeda nativa XPR não vingou e sofre de acusações de fraudes. Stellar é basicamente um clone.

Há projetos sem ligação com o sistema financeiro ou comercial, que têm por base conceitos vindos do Bitcoin, ou outros projetos descentralizados.

Maidsafe e Storj não são moedas, mas são em parte inspirados pela revolução descentralizada, iniciada não por Bitcoin mais sim pela Freenet. Ambas as plataformas são para descentralizar o armazenamento de dados. Confiam nos HDs dos usuários para armazenamento criptografado em nuvem.

Adept é uma colaboração entre a "americana" IBM e a Samsumg coreana. Para a internet das coisas (IoT), usando blockchain, Ethereum e BitTorrent para interligar dispositivos eletrônicos que podem transferir informações para a internet e enviar e receber dados sobre suas estatísticas.

Há também o Blockstream que não é uma “moeda” e sim projeto de alguns dos membros mais importantes, e respeitados, na Comunidade Bitcoin. O plano é introduzir cadeias laterais na blockchain. Isto tem sido rotulado como o assassino de "altcoin". E a história das criptomoedas está apenas começando.

Voltar: Bitcoin: Como conseguir.

0 comentários:

Postar um comentário